Freeride-Bus em Boí Taull – será esta A estância do Freeride na Península Ibérica ???

Depois da experiência piloto do ano passado, quando se instaurou o serviço de “Freeride-Bus”, para esta temporada, a estância de Boí Taull amplia a oferta de foras de pista com um mapa em que se detalham os itinerários, assim com os conselhos para disfrutá-los.

Com o objetivo de ajudar os aficcionados que nos bons dias do powder procuram os melhores vales em torno de Boí Taull para irem para os fora de pista, os responsáveis da estância estrearam na última temporada o Freeride-Bus com o objetivo de recolher os snowboarders que acabam na estrada que vai do Pla de la Ermita às pistas. Inicialmente foram estabelecidas três paragens sinalizadas: a primeira em Pont de Sant Marti (1.600 metros) e a última na base da estância de Inverno (altitude 2.020m), mas a realidade é que o motorista ia parando conforme encontrava os freeriders na estrada.

O Freeride-Bus começou no mês de janeiro do ano passado. Nesse mês levou quase 20 pessoas. Em fevereiro, o número triplicou e, em Março, o número começou a disparar para 300 utilizadores. O boca-a-boca atraiu inúmeros amantes de freeride.

O serviço é totalmente gratuito e a estância iniciará novamente este ano, embora amplie o suporte a esses fãs. A partir desta temporada, eles terão um plano de freeride específico, onde serão indicados não só os melhores itinerários, como também pequenas dicas para uma melhor experiência.

Praticamente todos os itinerários começam no final do teleférico Puigfalcó e muitos deles percorrem áreas arborizadas, algo que em Espanha não é muito frequente.

Além disso, a estância colocou uma série de pontos de controlo para transceivers / ARVA em dois teleféricos. Um no teleférico Express que se apanha na mesma base de Boí Taull, e outro no Roies que é o que liga com o de Puigfalcó.

O mapa, que lembra aqueles feitos na América do Norte para este tipo de snowboard, recomenda cerca de 20 quilómetros de itinerários, mas Ignacio Gimenez, Diretor da Estância de Boi Taull, diz que poderia levar muitos mais itinerários, mas para já eles vão tentar apenas com estes.

Os itinerários podem ser encontrados no mapa, mas no percurso não haverá nenhum sinal porque se encontram dentro do Parque Natural “não pudemos colocar uma única estaca”, disse Jimenez, acrescentando no entanto que ele tem em mente outras rotas muito divertidas que seram propostas para as próximas temporadas, se a iniciativa for bem sucedida.

No entanto, para adicionar novos itinerários, não é necessário apenas marcá-las no mapa, como antes a estância deve verificar se são rotas seguras, e no verão limpar os galhos e vegetação que podem causar algum inconveniente aos snowboarders. As verificações de perigo de avalanche também serão feitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close